Pequeno réquiem de um corrupto morto (ou exercício de omissão poética da letra A)

Oremos felizes no triste fim deste rico
por quem feixes de flores fedem
e cobrem o corpo neste lote
pobre e sem holofotes
pois, o nosso Deus
enfim lhe cobrou
por ter vivido
cheio dos
cobres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s