Gafe

Sentiu o calor dos olhos firmes a fitarem por detrás da gôndola das latas de ervilha e, ao disfarçar que não estava interessada em saber quem era o dono daquelas pupilas amendoadas, virou-se sem notar que, subitamente, a inércia a traía fazendo sua bolsa se virar junto ao seu corpo e derrubar metade das latas de milho da pilha ao lado. Todo o supermercado parou para fitar o despencar progressivo daquelas latas ao chão que pareciam não ter fim como a vermelhidão que tomava o seu rosto. Então, por trás das gôndolas, o homem sai subitamente e a ampara ao ajoelhar na sua frente para catar parte das latas em cascata. Um rosto másculo e expressivo de perfil grego irritantemente clássico, dotado de uma barba ruiva por fazer e que combina com o corpo forte que remete ao estereótipo pop de um lenhador, sendo suavizado apenas pelos olhos amendoados ou caramelados, estava na dúvida. O lenhador catou as latas e, vendo a expressão de quero-morrer da mulher, pegou em suas mãos geladas, com voz grave:

– Relaxa, acontece…

E, por uma fresta que ainda restava em seu coração selado, um sentimento exilado a penetra, provocando um espasmo seguido de arrepio e uma risada amarela, a única reação perceptível a olho nu.

Anúncios

3 respostas em “Gafe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s