Filme

O clique que o gatilho do revólver fez na sua têmpora soou como o play para o filme de sua vida que começou a ser projetado na tela de suas pálpebras fechadas. Fade in, super close, trilha sonora branda ao som do xilofone, batidas de um coração fetal, flashes, luzes, violência, dor na narinas, choro. Corte. Plano americano, frustração, o primeiro natal em que ganha roupa no lugar de brinquedos. Corte. Tomada solta, retira as rodinhas da bicicleta e anda tranquilamente, mantendo o equilíbrio. Corte. Close, o primeiro beijo debaixo da escada do colégio. Ela tem gosto de drops de hortelã. Corte. Coração na boca. Perda da virgindade. Corte. Balde de tinta na cara, trote na faculdade. Corte. Fim de namoro, choro que parece não ter fim, primeiro carro. Corte. Primeiro berro que recebeu de um chefe no estágio. Corte. Imagens aceleradas e cortadas. Tentativa frustrada de rewind. Imagem pausada, fade out. Trilha triste de piano. Créditos. E o gosto em sua boca não era o de pipoca.

Anúncios

Uma resposta em “Filme

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s