Botero em exílio

Aos magros,
tudo é
permitido

Permite-se o bafo
o feijão no dente
a cueca amarela
a camisa amarrotada
e até cabelo comprido
seja crespo ou liso
pois, aos magros
tudo é permitido

Permite-se a empáfia
a máfia
o mau humor
o fracasso
e o ócio
descabido
pois, aos magros
tudo é permitido

Permite-se o amor
o ódio
a melancolia
e a nostalgia
em vida
mesmo sem ter partido
pois, aos magros
tudo é permitido

Permite-se o excesso
a embriaguez
o prato cheio
a flatulência
e a opulência
de todo um vazio
pois, aos magros
tudo é permitido

Aos magros,
tudo é tão
permitido
que a vida
é mais
farta

Aos gordos
tudo é tão
proibido
que, quase
tudo é
vaca magra

Anúncios

6 respostas em “Botero em exílio

  1. Parece um jogral. Imagino várias crianças gordinhas recitando o poema, em fúria e vestindo toscas indumentárias de pequenos gladiadores. Pequenos gladiadores do 4º milênio (sim do quarto), que vieram ao mundo pra ser o paradigma e a destruição do mundo onde os magros detem o poder. Enfim, fudeu, já é um roteiro de filme na minha cabeça,
    Eu podia ter escrito só “inspirador”, né?
    Seria menos exposição. Aham, pois é.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s