Fanônicas – V

Tenho em mim todos os negros do mundo

O orixá que há em mim pode ou não saudar o orixá que há em ti

O que seriam os astros comparados ao manto negro que tudo permeia?

Assim tenho em mim todos os negros do mundo

Quando me ignoram, é para calar todos os negros do mundo

Quando me prendem, é para acorrentar todos os negros do mundo

Quando me batem, é para castigar todos os negros do mundo

Quando me matam, é para exterminar todos os negros do mundo

É tentando sumir comigo, como tentam sumir com todos os negros do mundo, que, um a um, em cada recanto de nossas ruas, lugares, músicas, culinária, fala, gestual, reza e vestuário que transparecem eles, todos eles, todos os negros do mundo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s